Quanto mais se aprende, mais se sabe. Quanto mais se sabe, mais se esquece. Quanto mais se esquece, menos se sabe. Então, para quê aprender?

14
Mai 08

 

Hoje passei os portões e respirei fundo. Ultimamente nem que estivesse em floresta virgem sem poluição me sentiria de pulmão asseado.
Olhei para as beatas no chão e lembrei-me dos actos de fé. Sem hábitos ou com hábitos, tanto faz. Mais vale acender um cigarro, sempre se vê chama que dura até ao filtro.
 
Resolvi mandar pastar a ciência, a astrologia, a matemática, a literatura, a sociologia, economia, química, física e história. Passaram-me pelo único neurónio estrafegado mais umas quantas ciências, mas resolvi mandá-las pelo saneamento público. Talvez haja reciclagem em alguma etar. Nem a teologia com um valha-me um santo pouco carunchoso me safou de aflições e palpitações maiores.
 
Hoje decidi brincar aos cientistas malucos, só porque têm fama de excêntricos e se eu fosse excêntrica diria vasssse fuder isto tudo e mais aquilo que não me lembrei hoje.
 
Cientificamente e nas estatísticas dos estudiosos hoje sentir-me-ia muito mais feliz.
 
Beijo nos beiços os ignorantes, nem sabem da shit malcheirosa que se safaram.
 
publicado por Soror AlCuMofadado às 20:09

Maio 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
17

18
21
23
24

25
27
28
29
31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
arquivos
2009

2008

mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO