Quanto mais se aprende, mais se sabe. Quanto mais se sabe, mais se esquece. Quanto mais se esquece, menos se sabe. Então, para quê aprender?

15
Mai 08

 

Frei Gélico, dizei-me,
uma vez que vossa infinita sabedoria de homem despido de artefactos ainda se mantém, se devo ler nos sinais dos tempos o desprezo pelas coisas terrenas e entre no meu êxtase mais profundo de uma vez por todas.
Frei Gélico, dizei-me,
homem de cordão pendendo da cintura, já que nada mais aí os meus olhos castos vislumbram, se os decretos se fizerem para nos gozar ou se devemos nós gozar com eles.
Dizei-me, se tal a vossa sabedoria atinge e a minha sapiência se tornou parca, se não é melhor não fazer regras se depois elas são para não se cumprirem.
Sabei, Frei, que hoje ouvi uma grande iniquidade e pareceu-me reconhecer uma risada dos altos.
Falai, Frei, aí com quem manda, que o mundo armou-se de coisa que lhe chamam liberdade e acho que não sabe em que gelos derrapa.
Sabei, Frei, que hoje a história era assim, a modos como ma contaram, e que me gelou mais que pedacinhos de água solidificada em caipirinha rasca.
Contava-vos, Frei, que um dos homúnculos imberbes que frequentam as nossas escolas actualmente, disse, textualmente, a um dos que professam a nossa vocação, um vetusto e calmo frei de mais de cinquenta anos, medindo altura e forças: “já alguma vez um aluno lhe pregou dois pares de estalos?”
Frei Gélico, dizei-me, há justiça e integridade por que bandas?
 
Debruçai-vos mais um pouco e derramai no meu copo mais um vale de lágrimas.
 
publicado por Soror AlCuMofadado às 22:25

Sabes, eu pergunto-me onde raio andam os homens de tomates neste país. Nas escolas não é com toda a certeza. Porra, era eu bem novinha, quando um belo dia resolvi "convidar" um caramelo para uma conversinha no final da aula. Fechei a porta e aqui vai disto ó evaristo, um bom dum estalo que era o que o piqueno andava há umas aulas a pedir, a mim e a outros professores, e não havia modo de ninguém fazer a vontade à criatura. Remédio santo. Fiz um amigo até ao final do ano. A amizade não se prolongou no tempo po razões que agora e aqui não vêm ao caso.
Santa Eulália a 15 de Maio de 2008 às 23:14

Verás que depois do primeiro relatório, de três páginas, terás de preparar mais uma resma de papel, e umas horas de argumentação, mais outras tantas de alegações, perante as diversas comissões de apoio e solidariedade aos “meninos da escola”, vítimas primeiras das regras e regulamentos existentes, até que o processo saia os portões do palácio onde os mochos habitam.

Deve ser de facto exasperante não se ter uma besta automática nas mãos, tipo metralha-besta, para atirar certeiro e acabar-se de vez…. Com estas burocracias!...

Arma de Arremesso
Arma de Arremesso a 16 de Maio de 2008 às 10:27

Maio 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
17

18
21
23
24

25
27
28
29
31


arquivos
2009

2008

mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO