Quanto mais se aprende, mais se sabe. Quanto mais se sabe, mais se esquece. Quanto mais se esquece, menos se sabe. Então, para quê aprender?

13
Mai 08

 

Professei. Um dia, professei. Disse Creio!
Acho que disse com convicção. Acho que sentia convicção. Acho que tinha fé.
 
 
Creio na Humanidade
Aniquilando entre o céu e a terra.
E na Mulher e
No Homem
Companheiros,
Que foram concebidos para povoar,
Nascidos para amar,
Quilharem-se para vencer,
amordaçados, extintos e esquecidos,
Descendo aos confins do desânimo,
Para voltarem a acreditar.
Aceitarem os mais altos desafios e então
Sentarem-se, em merecido descanso,
À esquerda, ao centro e à direita,      
E usarem o livre arbítrio.
Creio na Bondade,
Na Dignidade,
No Respeito Mútuo,
Na Liberdade,
Nas gotas para os olhos,
Nos lubrificantes,
Nas pastilhas para a azia,
Na pílula do dia seguinte,
Nos lenços de papel.
E nas terapias das palavras
Que não valem um peido,
Mas tentam mudar o mundo.
 
Credo, cruzes!
 
Professei (bato 3 vezes com a mão na tola e não no peito que as mamas não têm culpa).
Professei (podia ter partido uma perna mas só escafodi um tendão)
Professei (e agora é uma granda trampa voltar atrás).
 
Vai dai que te desejo mesmo é uma boa noite, com muita fezada.
 
 
publicado por Soror AlCuMofadado às 22:27

Maio 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
17

18
21
23
24

25
27
28
29
31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

arquivos
2009

2008

mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO